terça-feira, 29 de abril de 2014

Autódromo Virtual de Vila Real: A melhor invenção desde a roda.

Para qualquer fã de desporto motorizado, há pelo menos 2 coisas que acreditamos que todos queiram fazer. Ver um GP ao vivo, se possível na pista preferida, e dar uma volta num carro de competição e sentir um pouco da adrenalina da velocidade pura. Quanto a ir a um GP, nada podemos fazer para ajudar… Agora se quiserem sentir um pouco do que é conduzir um carro de competição, há agora uma solução.

O conceito tem o nome de GT Competizione e quem gosta de automobilismo, já terá reparado que cada vez mais se fala disso e são já várias as lojas abertas com esse nome. A ideia surgiu de um ex-piloto de competição e de um ex-piloto de radio-modelismo e informático. A paixão pelo automobilismo de ambos originou a ideia de disponibilizar um simulador ao público, de forma a que mais pessoas pudessem sentir as emoções das corridas, tornando a experiência o mais real possível. 

Usando o simulador "R-Factor" como base, as lojas GT Competizione oferecem ao “pilotos” um "baquet" de competição, um volante com os “flapy pedals” que controlam a caixa sequencial, pedais e 3 écrans. Tudo isto, fornece uma experiência única, em que nos sentimos verdadeiramente num carro de competição (sem o desconforto das suspensões demasiado duras e das forças G, o que até é positivo).

Quisemos saber mais sobre os Autódromos Virtuais, que começam a florescer por este pais e para isso deslocamo-nos ao Autódromo Virtual de Vila Real e falamos com José Lopes e Abílio Santos, os responsáveis por trazer este conceito para a capital Transmontana.

O espaço está… bem, para quem gosta de carros, está lindo. Todo o espaço está recheado de objectos e imagens que nos levam para os tempos gloriosos do Circuito de Vila Real. Os semáforos, os cartazes das provas, e especialmente uma “Time line” na parede, que nos permite, numa pincelada, viajar pelos momentos marcantes do circuito de Vila Real, desde os anos 30 até ao presente, com fotos magnificas. Qualquer um gostaria de ter em casa um “quadro” assim. Entra-se e "respira-se" logo a paixão pelo automobilismo. Para além disso, os 8 simuladores foram colocados de forma a que a sua disposição lembre um grid, em que os carros se perfilam, antes da largada. Brilhante!

A conversa decorreu nos sofás do Autódromo Virtual, um espaço feito exactamente para este tipo de “tertúlias”, e o que seria uma conversa relativamente curta sobre o funcionamento do espaço, tornou-se também num passeio pelas memórias e experiência de José Lopes. Um homem que está ligado ao desporto motorizado desde 1968, em que foi comissário de pista no circuito de Vila Real (com 14 anos!), tendo sido depois navegador de ralis, co-fundador e membro dos órgãos sociais do CAVR, organizador do rali de Vila Real, sendo neste momento membro da comissão instaladora do Circuito internacional de Vila Real (é apenas um resumo das muitas coisas que fez). Foi mais de uma hora, em que aprendemos muito e recebemos mais informação do que aquela que esperávamos, mais ainda quando a nós se juntou Abílio Santos, também um apaixonado pelo automobilismo. Explicaram-nos tudo o que queríamos saber, de forma muito simples e amável. Um momento que iremos com certeza repetir.

Voltando ao tema do texto, ficamos a perceber que os autódromos virtuais, para além da vertente lúdica, têm também grande utilidade para os pilotos “a sério”. São muitos os casos de pilotos que se sentam neste tipo de simuladores, para conhecer melhor as pistas onde vão competir, escolhendo as melhores trajectórias e até testando alguns "Set Up´s". O realismo é tal, que foram vários os pilotos que já experimentaram o confirmaram, ficando surpreendidos com a exigência dos simuladores (não se admire se encontrar por lá pilotos, pois a sua presença é mais frequente do que possa pensar). Torna-se útil para os profissionais e mais aliciante para os fãs, que querem testar as suas reais capacidades e não jogar numa consola de videojogos. E é possível, quem sabe, encontrar novos talentos, que sem possibilidades de conduzir um carro a sério, vão correndo e melhorando nos simuladores. Lembramos o caso de Miguel Faísca, que venceu o GT Academy e agora é piloto Nissan. Há sonhos que começam de formas inesperadas. 

Esse realismo poderá assustar alguns, pois poderão não se sentir preparados para enfrentar a potência e a forma muito mais nervosa como os carros respondem, mas o pessoal do Autódromo Virtual de Vila Real presta uma ajuda preciosa na escolha dos carros e essa escolha é também feita de acordo com a experiência do “piloto” e do seu feedback. Esse problema não se coloca minimamente e os carros mais fáceis de conduzir não assustam e permitem ganhar confiança para outras máquinas. Com a vantagem de que quando se bate, o estrago não se sente.

Quanto a nós, já experimentamos e o nosso veredicto é o seguinte: quem gosta de carros deve experimentar. Quem é fã de desportos motorizados, deve correr para o simulador mais próximo. É uma experiência fantástica. Já corremos 3 pistas ( Vila Real, Spa Francorchamps e Macau… qual delas a melhor...), em 3 carros diferentes e o resultado é sempre o mesmo. O tempo passa a voar e no final, saímos sempre com um sorriso nos lábios, quer se ganhe ou se perca ( menos quando se perde, obviamente). Para nós, é um substituto ideal ao ginásio, pois a adrenalina sobe mesmo e quando saímos de lá e respiramos fundo, sentimos que fizemos um bom exercício de 45 minutos. É a terapia ideal para esquecer as preocupações do dia a dia. Quando se começa a conduzir, só existe a pista, o carro e os adversários... Mais nada interessa.

Dos 3 membros do blog, temos um que está altamente viciado (estamos seriamente a ponderar pagar lhe uma terapia) e outros dois, que lutam de forma inglória ao impulso de voltar e experimentar mais carros e pistas. Mas cada vez que saímos de lá, não nos arrependemos e o único problema é parecer tão pouco tempo. Dá sempre vontade de dar mais umas voltas.

Mesmo que chegue à conclusão que afinal o seu kit de unhas é mais curto do que pensava e que tenha de treinar as famosas "desculpas de piloto", não se arrependerá de passar no mínimo meia hora ao volante do simulador. De certeza que vai repetir... muitas vezes. Altamente aconselhado. 




Agradecemos ao Sr José Lopes e ao Sr Abílio Santos, a forma amável como nos acolheram e responderam às nossas questões.






Entrevista feita por Pedro Mendes e Fábio Mendes

Texto:
Fábio Mendes

Fotos:
Retiradas do facebook do Autódromo Virtual de Vila Real.

Sem comentários:

Enviar um comentário